Imprensa

Feira Nacional de Artesanato já abriu

2016-07-23
 
Arte e engenho. Criatividade e paixão. Tradição e modernidade. De tudo isto, e muito mais, se faz a Feira Nacional de Artesanato, que foi inaugurada este sábado pela Presidente da Câmara Municipal e pelo Dr. Valadas da Silva, Presidente do Instituto de Emprego e Formação Profissional.
 
Nesta edição a organização deu destaque à música tradicional portuguesa e aos instrumentos musicais artesanais, exibindo o trabalho de artesãos na área mais nobre do recinto, a que chamou de “Artesãos do Som”, onde foram demonstrados talentosos trabalhos e mestria na construção de cordofones, idiofones, membranofones e aerofones. 
 
A este respeito, na habitual reunião com a Comunicação Social, a Drª. Elisa Ferraz disse ter achado “a ideia extraordinariamente interessante. É importante que se inove na criatividade dos artesãos, nas novas apresentações do nosso artesanato e vê-se por aqui tanta coisa interessante e que também se faça aqui um interregno no convite a algum país como vinha acontecendo ultimamente e este ano houve esta ideia de juntar aqui uma série de artesãos que fazem instrumentos musicais com história, populares, que temos no ouvido, que pessoas da minha geração e de outras se lembram de alguns sons, da maneira como eram produzidos e que praticamente estão em desuso”. Questionada sobre a importância de inovar a cada edição da FNA, a Presidente da Câmara disse ser “fundamental para manter a dinâmica e o interesse da feira, até porque outras vão sendo feitas pelo país, os produtos têm que inovar, mantendo a raiz, mantendo a identidade, mantendo a história de cada tipo de artesanato, mas ao mesmo tempo criando peças diferentes e mais apelativas”.
 
Por sua vez, o Presidente do IEFP disse estar “absolutamente impressionado com a dinâmica do setor. Este é um setor extremamente empreendedor e que nos últimos anos tem acrescentado emprego, que é fundamental porque são empreendedores de grande valia, aliás, reconhecidos internacionalmente e com conteúdos criativos que já nos distinguem do resto do mundo. Temos aqui exemplos extraordinários desse artesanato, desse empreendedorismo e dessa capacidade de criar emprego. Este é, para nós, motivo de grande agrado e para mim é uma honra estar aqui hoje nesta sessão inaugural.”
 
Mas não só instrumentos musicais podem ser apreciados no recinto, pois cerca de 200 artesãos trouxeram o melhor do artesanato português, grande parte deles a trabalhar ao vivo.
 
Este ano, para além da tradicional homenagem às nossas Rendilheiras, que terá lugar no próximo domingo, também os nossos compatriotas que ganham a vida “nas sete partidas do mundo” terão a sua festa no Dia do Emigrante. Será hoje, quinta-feira, conforme fazemos referência noutra local.
 
E, claro, um programa de animação condizente com o tema central e o melhor da nossa gastronomia no Restaurante das Jornadas Gastronómicas, completam um imperdível programa.