Imprensa

Feira Nacional de Artesanato inaugura dia 23 julho

2016-07-13

De todos os tamanhos e cores. E com as sonoridades mais típicas e diversas do nosso Portugal, em destaque, este ano sob orientação do etnomusicólogo Tiago Pereira, criador do projeto «A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria».

No âmbito da parceria com o referido projeto, a Feira Nacional de Artesanato irá destacar os “Artesãos do Som”, com a presença de cerca de duas dezenas de artesãos de instrumentos musicais que, ao vivo, irão demonstrar os seus talentos e mestria na construção de cordofones (instrumentos musicais em que o som é produzido por uma corda tensa), idiofones (instrumentos em que o som é produzido pelo corpo do instrumento), membranofones (instrumentos cujo som resulta de uma membrana, ou de uma pele esticada) e aerofones (instrumentos em que o som é produzido pela vibração do ar).

No topo central do recinto do evento, estará patente uma exposição com as «13 Fases de Construção de Um Cavaquinho», baseada no espólio que o artesão Domingos Machado reúne no Museu dos Cordofones, em Tebosa, Braga. Inaugurado em 1995, é um museu privado criado pelo artesão violeiro que mantém a mais completa coleção de cordofones portugueses: guitarras, cavaquinhos, banjos, banjolins e bandolins, violas clássicas e violas típicas (beiroa, braguesa, da terra). O espólio engloba ainda exemplares de instrumentos antigos, apetrechos musicais, objetos ligados à arte musical portuguesa, uma biblioteca e uma discoteca.

A Feira Nacional de Artesanato

Já com os olhos postos na edição do próximo ano, em que celebra quatro décadas consecutivas de existência, a 39ª Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde decorre entre 23 de julho e 7 agosto, nos Jardins da Av. Júlio Graça, com organização da Associação para Defesa do Artesanato e Património e Câmara Municipal de Vila do Conde.  A entrada é livre.

Sendo o maior evento do género realizado em Portugal, mobilizando cerca de 200 artesãos e uma média de 400 mil visitantes por ano, as expetativas para a presente edição apontam para mais um certame que irá de encontro ao sucesso consolidado.

Em pleno coração da cidade, será possível apreciar o melhor e mais tradicional artesanato português, representativo das diferentes regiões do país. E se ao artesanato e à música, juntarmos os sabores da gastronomia portuguesa, é certo que estão reunidos os motivos necessários para uma visita obrigatória a Vila do Conde.