Edições anteriores

 

 

2015

 

38ª edição - 25 julho a 9 agosto

 

 EM DESTAQUE - ARTESANATO PORTUGUÊS CERTIFICADO
 

A inauguração da 38ª edição da Feira Nacional de Artesanato foi também a data de apresentação do selo de certificação das Rendas de Bilros de Vila do Conde. A certificação foi concedida pela ADERE-Minho, organismo acreditado pelo Instituto Português de Acreditação. 

Durante a FNA, os visitantes puderam conhecer todo o artesanato certificado em Portugal, num stand com amostras de diversos trabalhos. As Rendas de Bilros de Vila do Conde juntaram-se então aos já anteriormente certificados Artesanato dos Açores, Bordado da Madeira, trabalhos em junça de Beselga, Lenços dos Namorados do Minho, Figurado de Barcelos, Olaria de Barcelos, Bordado de Viana do Castelo e Bordado de Guimarães.

Com o estatuto de artesanato certificado, as Rendas de Bilros de Vila do Conde, sendo uma tradição e um símbolo da cidade, ganham um merecido reconhecimento e impulso.

  
 

ANIMAÇÃO

 DIAHor. NOME DO GRUPO/RANCHO

Sáb

25

21H30

Grupo "Cavaquinhos do Oeste" - MAFRA

Dom

 

26

 

17H30

21H30

Grupo "Cavaquinhos do Oeste" - MAFRA

Grupo Folclórico Modas da Nossa Terra - Ilha Terceira - AÇORES

Seg

27

21H30

Rancho Folclórico S. Cosme de Gemunde - MAIA

Ter28
21H30
Rancho Folclórico de S. Tiago de Silvalde - ESPINHO
Qua29
21H30
Rancho da Praça - Rendilheiras de VILA DO CONDE
Qui30
21H30
Grupo Folclórico Poveiro - PÓVOA DE VARZIM
Sex31
21H30
Grupo Gestrintuna - GONDOMAR

Sáb

 

1

 

18H30

21H30

Conjunto típico do Vau - TROFA

Rancho Lavradeiras da TROFA

Dom2
21H30
Rancho Folclórico Flores da Primavera - Caldas da Rainha
Seg3
21H30Grupo Etnográfico do Orfeão de MATOSINHOS
Ter4
21H30
Grupo "Tempos Livres" - MARCO DE CANAVESES
Qua5
21H30
Associação Cultural e Recreativa do Rancho do Monte - VILA DO CONDE
Qui6
21H30
Grupo "Amigos de Abril" - MARCO DE CANAVESES
Sex7
21h30
Rancho Folclórico de Santa Maria de Mogege - VILA NOVA DE FAMALICÃO
Sáb

8

 

21H30

 

Rancho Folclórico e Etnográfico "Os Frieleiros" - LOURES

Rancho Folclórico do Centro de Convívio do Carvalho - VILA NOVA DE POIARES

Dom9
21H30
Rancho Folclórico e Recreativo de Godim - PESO DA RÉGUA

 

JORNADAS GASTRONÓMICAS

É esta a riqueza da gastronomia tradicional portuguesa!

Fialho de Almeida, escritor e jornalista (1857 – 1911), escreveu na sua obra “Os gatos”:
“O prato nacional é como o romanceiro nacional, um produto do génio coletivo: ninguém o inventou e inventaram-no todos: vem-se ao mundo ido por ele, e quando se deixa a pátria, antes de pai e mãe, é a primeira coisa que se lembra.
Em Portugal não há província, distrito, terra, que não registe entre os monumentos locais, a especialidade de um petisco raro, sábio, fino, verdadeira sinfonia de sabores sempre sublime.”
As Jornadas Gastronómicas da Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde, vão fazer jus a este manancial de tradições, reeditando pratos que, ao longo dos 25 anos das suas edições foram servidos, percorrendo o país de norte a sul e tocando também nas regiões autónomas. 

 

BEIRA INTERIOR

Sábado 25 jul

e

Domingo 26 jul

Burzigada de Peroficós
Miquelinas em cama de alface
Sopa de matação de Alcains
Farinheira com miga sorda da aldeia de Monsanto

Migas de bacalhau com tomate à moda de Loriga
Carapau no forno com chirivias

Vitela assada à moda de Lafões
Morcela com grelos de Gouveia

Queijo da serra com marmelada
Requeijão tostado
Espera maridos de Idanha-a-Nova

 

MINHO e DOURO LITORAL

Segunda 27 jul

e

Terça 28 jul

Caldo verde
Carro de caranguejola
Chora de Vila Chã - Vila do Conde
Mexilhões à moda de Leça

Bacalhau à Margarida da Praça
Petinga à moda das Caxinas com farinha-de-pau ou arroz das mesmas
Raia frita com legumes

Rojões à moda do Minho
Tripas à moda do Porto
Cabidela de frango caseiro
Bife à Padre Piedade

Pudim Abade de Priscos
Clarinhas de Fão
Pastéis de Santa Clara
Rabanadas de Arouca

 

TRÁS-OS-MONTES e ALTO DOURO

Quarta 29 jul

e

Quinta 30 jul

Sopa de castanha pica
Tábua de enchidos

Bacalhau nas brasas à moda de Vila Real
Trutas à moda de Boticas
Polvo frito da consoada

Feijoada à transmontana
Posta à Mirandesa
Alheiras com batatas e grelos à moda de Armamar

Cristas de galo
Toucinh-do-Céu de Murça

 

ALENTEJO

Sexta 31 jul

e

Sábado 1 ago

Sopa gata de coentros
Meias-luas
Queijinhos de Nisa

Cação de coentrada de Alpalhão
Bacalhau à alentejana

Entrecosto com migas
Pezinhos de coentrada
Cachafrito de borrego de Évora

Sericaia
Pão de rala
Charcada

 

RIBATEJO e ESTREMADURA

Domingo 2 ago

e

Segunda 3 ago  

Sopa de pedra de Almeirim
Canja de bacalhau dos Vidreiros
Amêijoas à Bulhão Pato
Peixinhos da horta

Fataça à moda de Salvaterra
Enguias fritas com arroz de tomate
Bacalhau à Brás
Lulas à moda da Nazaré
Caldeirada à Fragateiro

Arroz de entrecosto
Morcelas de arroz com arroz de forno
Bife à Marrare
Coelho guisado

Torta de Tomar
Arroz doce branco dos casamentos
Pudim da Madre Paula do Convento de Odivelas

 

AÇORES e MADEIRA

Terça 4 ago

e

Quarta 5 ago

Couves solteiras
Sopa Moganga
Fritadas da Ilha Terceira
Cebolinhas de escabeche

Bifes de atum em tomate com salada de pêra abacate
Polvo guisado
Peixe-espada com banana

Alcatra Terceirense
Torresmos de vinha d'alhos
Espetadas em pau de loureiro com papas de milho fritas
Semilhas com conduto da Ribeira Brava

Queijo das Ilhas
Banana frita com morangos
Pudim de papaia

 

BEIRA LITORAL

Quinta 6 ago

e

Sexta 7 ago

Sopa de peixe à pescador
Espetadas de mexilhão

Enguias de escabeche
Arroz de cabeça de robalo
Caldeirada do Arrais

Leitão à Bairrada
Pé de porco com feijão branco

Farta-rapazes com ovos moles de Aveiro
Pão de ló de Ovar
Ovos folhados

 

ALGARVE

Sábado 8 ago

e

Domingo 9 ago

Sopa de conquilhas
Choquinhos fritos com tinta
Ovos mexidos com camarão

Cataplana de amêijoas
Carapaus alimados
Pescada à algarvia

Jantar à montanheira
Cozido de repolho
Galinha cerejada

Doce de batata doce de Aljezur
Bolo mimoso
Florados de Lagoa

 

2014

 

 37ª edição - 26 julho a 10 agosto

 

  REGIÃO CONVIDADA - GALIZA
  
  ANIMAÇÃO
  
DIAHor.

NOME DO GRUPO / RANCHO

Sáb2621h30Real Coro Toxos e Froles - FERROL - ESPANHA 
 Dom2721h30

Grupo Cultural São Bernardo a Cantar - AVEIRO

Seg2821h30

Rancho das Ceifeirinhas da Casa do Povo de Vila Nova de Anços - SOURE

Ter 2921h30

Rancho Folclórico de S. Tiago de Silvalde - ESPINHO

Qua3021h30

Associação Cultural e Recreativa do Rancho do Monte - VILA DO CONDE

Qui3121h30

Grupo Etnográfico do Orfeão de MATOSINHOS

Sex

1

21h30

Rancho Típico do Centro Social de S. Pedro de Avioso - MAIA

Sáb

2

21h30 Rancho Folclorico Casa de Povo de Barqueiros - MESÃO FRIO
 Dom
21h30

Ass. Recreativa e Cultural |Banda de Música de FREIXO DE ESPADA À CINTA

Seg

4

21h30

Grupo Folclórico de S. Cosme - GONDOMAR

Ter

5

21h30

Rancho Regional de Fradelos - VILA NOVA DE FAMALICÃO

Qua

6

21h30

Rancho da Praça - Rendilheiras de VILA DO CONDE

Qui

7

21h30

Rancho Folclórico de São Cosme de Gemunde - MAIA

Sex

8

21h30

Rancho Folclórico da PÓVOA DE VARZIM

Sáb

9

21h30Grupo Folclórico e Etnográfico do Municipio de VILA NOVA DE POIARES 

Dom

10

17h00Grupo de Danças e Cantares do Vale do Coronado - TROFA
21h30Rancho Folclórico de Alvarelhos - TROFA
  JORNADAS GASTRONÓMICAS
  
Galiza

26.Jul

 

27.Jul

Sábado

e

Domingo

Pimentos do Couto
Polvo à Feria
Calamares da Ria
Empanada de atum
Empanada de bacalhau
Zamborinas à la plancha
Merlusa à Galega
Rape à Ferrolana
Xarrete estufado
Freixô com natas
Caña relena de creme
Bola de açúcar com queijo galego e doce de membrillo
 
Minho e Douro Litoral

28.Jul

 

29.Jul

Segunda

e

Terça

Tripa enfarinhada
Bolinhos de bacalhau
Ovos de codorniz em tomate
Canja de Galinha
Petinga com farinha de pau à moda das Caxinas
Bacalhau à Biscaínha com esparregado de couves
Cabrito montanhês de Arouca
Rojões à Clara Penha
Doce de amêndoa de Vila do Conde
Pudim do Abade de Priscos
Maçãs assadas em Vinho do Porto
 
 Trás-os-Montes e Alto Douro

30.Jul

 

31.Jul

Quarta

e

Quinta

Tábua de enchidos
Pastelão de broa de Ribeira de Pena
Rodelas de Alheira panada
Caldo de papas de Armamar
Arroz de Polvo à moda de Lamego com filetes do mesmo
Pastéis de Chaves com arroz de feijão
Carne de vaca barrosã no forno
Cozido à transmontana
Toucinho-do-céu de Murça
Aletria da esperança de Vila Real
Taça de farinha de pau doce
 
 Beiras

1.Ago

 

 2.Ago

Sexta

e

Sábado

Queijos do rabaçal
Torresmos com broa
Enguias fritas
Sopa de camarão à moda da Figueira da Foz
Carapauzinhos com migas de broa com grelos
Bacalhau de Lafões
Bazulaque com batatas louras
Cabrito à pastor de Gouveia
Bolo de amêndoa de Sernancelhe
Creme de ovos de Viseu
Pudim de leite de Gonçalo
 
 Ribatejo e Estremadura

3.Ago

 

4.Ago

Domingo

e

Segunda  

Punheta de bacalhau
Chocos fritos com pimenta
Cebolinhas estufadas
Sopa de pão de Salvaterra
Caldeirada à ribatejana
Sardinhas albardadas com arroz de tomate
Bifes com coentros
Arroz de pato
Bolo acaramelado
Palitos de amêndoa de Torres Novas
Açorda de ovos de Sesimbra
 

Alentejo

5.Ago

 

6.Ago

Terça

e

Quarta

Tábua de queijos e enchidos
Ovos mexidos com espargos bravos
Beringelas fritas
Sopa de alface
Alhada de cação
Migas de azeite do Baixo Alentejo
Borrego à camponesa com esparregado
Friginada à moda dos Arcos
Misto de doces conventuais
 
Algarve

7.Ago

 

8.Ago

Quinta

e

sexta

Polvo em azeite e vinagre
Chícharos de Alte
Cogumelos de Bensafrim
Arjamolho de Lagoa
Atum abafado
Bacalhau com conquilhas
Caldeirada
Batata-doce com feijão da região de Aljezur
Sopa dourada
Torta de laranja de Lagos
Pudim dourado de Silves
 
Açores e Madeira

9.Ago

 

10.Ago

Sábado

e

Domingo

Atum albardado
Polvo com cebolada
Fava-rica da Ilha de Santa Maria
Sopa caldeta
Peixe-espada em vinha-d’alhos
Garoupa à S. Miguel
Coelho à Ribeiro Frio
Alcatra de feijão da Terceira
Barrigas de freira
Bolo das Ribeira Brava
Doce de vinagre
 CONCURSO FOTOGRÁFICO
  
 PRÉMIO DE JORNALISMO  e "PORTUGAL SOU EU"
 No quadro do mais emblemático palco e mostra nacional das artes e ofícios tradicionais portuguesas – Feira Nacional de Artesanato de Vila Conde - reuniram-se a Câmara Municipal de Vila do Conde, o IAPMEI, a AEP, o IEFP, o PPART, o CENJOR e a ADAPVC, numa ação que engloba duas iniciativas do maior significado para a promoção do artesanato nacional: Entrega dos Prémios de Jornalismo para o Artesanato “(Re)descobrir o Artesanato nos Média” e a Assinatura de protocolo entre o IAPMEI e o IEFP com o objetivo de estabelecer condições de adesão especiais para as Unidades Produtivas Artesanais (UPA).
De acordo com o protocolo, todos os produtos manufaturados pelas Unidades Produtivas Artesanais (UPA), exceto joalharia e relojoaria, podem aderir ao selo “Portugal Sou Eu” de forma simplificada (sem estarem sujeitos ao cálculo da percentagem de incorporação nacional) e com um valor de adesão reduzido. Beneficiam também de um conjunto de regalias ao nível da promoção em eventos, campanhas de notoriedade e participação em redes colaborativas de comércio eletrónico.
A cerimónia pública de entrega do Prémio de Jornalismo para o Artesanato, que acontece após assinatura do protocolo supra citado, conta com a presença da Presidente da Câmara de Vila do Conde, Elisa Ferraz, do Presidente do IEFP, Jorge Gaspar, da Diretora do Cenjor, Deolinda Teixeira e do Presidente da ADAPVC, Saraiva Dias e dos respetivos premiados.
Os premiados desta primeira edição do Prémio Nacional de Jornalismo para o Artesanato “(Re) Descobrir o Artesanato nos Media”, são:
Carla Isabel da Costa Ferreira, jornalista do Diário do Alentejo, com o trabalho ”Abóbadas: Um Luxo na Era do Betão”, que granjeou a distinção do “Grande Prémio (Re)descobrir o Artesanato nos Média”, no valor de 5.000€ e
António Santos de Oliveira Pinto que granjeou uma Menção Honrosa com o trabalho “Fénix: o renascer da Ronca”, emitido pala Rádio Campanário, Vila Viçosa.
 Relembre-se que o Prémio Nacional de Jornalismo para o Artesanato “(Re)descobrir o Artesanato nos Média”, foi lançado pela Associação para Defesa do Artesanato e Património de Vila do Conde (ADAPVC), no decorrer da Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde de 2013, conta com o apoio institucional do Instituto de Emprego e Formação Profissional, colaboração do Sindicato dos Jornalistas e Instituições como o Clube dos Jornalistas, Associação de Rádios de Inspiração Cristã, a Associação de imprensa de Inspiração Cristã, o Gabinete para os Meios de Comunicação Social, a Comissão da Carteira Profissional de Jornalistas, Autoridade Reguladora para a Comunicação Social, Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto e Associação Portuguesa de Radiodifusão.
Este Prémio tem como objetivos promover e incentivar a criação e investigação jornalística sobre as artes tradicionais portuguesas, contribuindo para a sua valorização e reconhecimento nacional e internacional, como fator de afirmação da identidade cultural e de desenvolvimento económico do País.
O Júri desta primeira edição foi constituído por Alfredo Maia, Presidente do Sindicato dos Jornalistas, Cesário Borga, Vice-Presidente do Clube dos Jornalistas, Deolinda Almeida, Diretora do Cenjor - Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas, Fernando Gaspar, Coordenador do PPART - Promoção dos Ofícios e das Microempresas Artesanais, Luís Rocha, Diretor do CEARTE - Centro de Formação Profissional para as Artes e Ofícios e Válter Hugo Mãe, escritor.
Os prémios, no valor total de 10.000€, eram constituídos pelo “Grande Prémio (Re) Descobrir o Artesanato nos Media” independentemente da área em que fosse editado, e dois prémios de 2.500€ distinguindo o melhor trabalho concorrente em cada uma das restantes áreas (imprensa, rádio ou televisão).
Nesta edição o Júri decidiu atribuir que o “Grande Prémio (Re) Descobrir o Artesanato nos Media”, ao trabalho de imprensa ”Abóbadas: Um Luxo na Era do Betão”, publicado no Diário do Alentejo, de autoria de Carla Ferreira, e uma Menção Honrosa ao jornalista António Santos de Oliveira Pinto, pelo trabalho “Fénix: o renascer da Ronca”, emitido pala Rádio Campanário, Vila Viçosa.
A 37ª edição da Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde será inaugurada sábado, pelas 15h30, contando com a presença do Secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, acompanhado do Diretor Regional de Cultura do Norte, António Ponte. O certame decorre nos Jardins da Avenida Júlio Graça, de 26 de Julho a 10 de Agosto de 2014, encontrando-se aberta ao público de 2ª a 5ª das 17h00 - 24h00, 6ª e Sábado - 15h00 - 00h30 Domingo - 15h00 - 24h00.
Marcam presença neste certame cerca de 200 artesãos, de todos os azimutes do país e Regiões Autónomas, tendo como convidado de honra a cidade de Ferrol, geminada com Vila do Conde, e a Xunta da Galícia. É de referir, igualmente, que no decorrer do certame terão lugar As Jornadas gastronómicas e o concurso fotográfico sobre artesanato “FOTOGRAFIA FNA 2014”, para além da animação diária e vários workshops.
  
 

Enquadramento
Reconhecendo a importância da Comunicação Social na preservação, divulgação e promoção das Artes e Ofícios Tradicionais Portugueses, o Ciclo de Seminários “(Re)Descobrir o Artesanato nos Média” dirige-se a jornalistas, estudantes de jornalismo e colaboradores dos média, com o objetivo de fornecer informação qualificada sobre a temática do Artesanato e, por essa via, suscitar o interesse para o tratamento jornalístico deste setor, nas suas diversas valências.
O lançamento desta iniciativa - a par do Prémio de Jornalismo “(Re)Descobrir o Artesanato” - no quadro da 36.ª edição da Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde, pretende convocar vários parceiros e despertar um conjunto alargado de atenções, a nível local/regional e nacional, para a promoção pública do Artesanato enquanto património cultural, fator identitário e de desenvolvimento territorial e atividade com relevância para a economia do País.

Organização
Associação para a Defesa do Artesanato e Património de Vila do Conde
CEARTE - Centro de Formação Profissional do Artesanato
Cenjor - Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas
Apoio institucional
IEFP - Instituto do Emprego e Formação Profissional,IP, através do programa PPART - Promoção dos Ofícios e das Microempresas Artesanais

Destinatários
Jornalistas portadores de título profissional Estudantes de Jornalismo e Ciências da Comunicação
Outros profissionais e colaboradores da Comunicação Social

Objetivos gerais
Divulgar o Prémio de Jornalismo “(Re)Descobrir o Artesanato”;
Dar informação diversa sobre o Artesanato em Portugal;
Suscitar questões que sejam relevantes para o interesse jornalístico;
Dar a conhecer abordagens inovadoras no setor do Artesanato em Portugal;
Sensibilizar e motivar jornalistas para escreverem sobre a temática do Artesanato nas vertentes do emprego, do desenvolvimento territorial, das oportunidades, da identidade, da memória coletiva, etc;
Desmistificar ideias feitas, dar informação qualificada e suscitar interesses jornalísticos;
Facilitar o acesso dos jornalistas a fontes de informação sobre a organização do setor do Artesanato em Portugal e respetivos agentes.

Duração
Cada Seminário terá a duração total de 3,5 horas

Período de execução
4.º trimestre de 2013 - 1.º trimestre de 2014 (datas a definir)
Locais de realização
Vila do Conde
Coimbra/CEARTE
Lisboa/Cenjor
Outros a definir

Horário
Das 9h30 às 13 horas (com pausa para café)

Programa
O Artesanato - uma atividade económica:
enquadramento legal, organização do setor, expressão económica, importância para o emprego, o papel do Artesanato como potenciador de outras atividades económicas nos territórios, como o turismo; meios de comercialização (nº de feiras, nº aproximado de visitantes/ano, mapa de distribuição nacional).
Orador: Fernando Gaspar - PPART/IEFP
Os profissionais do setor: quem são, os novos artesãos, como se qualificam, a importância do saber-fazer, como evoluem, como exercem a atividade, quem se revê como profissional.
Orador: Ana Cristina Mendes - CEARTE
O Artesanato - limites e fronteiras: economia, cultura, património, identidade (da crise identitária à oportunidade de renovação, certificação de produtos/inovação e liberdade de criação - moda, tendências).
Orador: Graça Ramos - Portugal à Mão
Boas práticas na região: um artesão, um projeto, uma parceria ou entidade com atividade relevante no setor.
Orador convidado a selecionar em cada região
Moderação: Samuel Costa - Jornalista/Formador

Recursos
As sessões decorrerão em sala de formação/conferência equipada com meios de projeção, vídeo e áudio adequados ao conteúdo das intervenções.
Será disponibilizado a todos os participantes, em suporte digital, um conjunto de informação (técnica, estatística, entidades, legislação, bibliografia e contactos úteis) sobre o setor.

Certificado
Será atribuído aos participantes Certificado comprovativo da frequência da ação, de acordo com modelo apropriado para ações de formação que configuram a forma de Seminário, a definir pelo CEARTE e pelo Cenjor e emitido pelas duas entidades.

Informações e pré-inscrições
Cenjor
tel: 218 855 000
fax: 218 853 355 hsilva@cenjor.pt www.cenjor.pt

CEARTE
tel: 239 497 200
fax: 239 492 293 geral@cearte.pt www.cearte.pt


 

  
  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 2013

36ª edição - 27 de julgo a 11 de agosto 

 

 

JORNAL OFICIAL DA 36ª FNA
link externo

 PAÍS CONVIDADO - ARGENTINA
 
 

Cada região da Argentina, socioculturalmente falando, conta com diversos objetos de variadas formas, cores, materiais e usos; cada um destes se constrói com diferentes técnicas, dependendo do material que se usa e da região onde é construído. Por isso, uma peça de artesanato é um objeto elaborado por uma cultura, somente fabricado à mão ou com máquinas não muito complexas, e a mesma se baseia nos elementos necessários para ser algo folclórico.
A presença da Argentina nesta Feira tem como objetivo principal dar a conhecer algumas das suas atividades no artesanato através de artesãos argentinos, dando importância às técnicas de elaboração dos seus produtos como assim também à estética dos mesmos. Os objetos apresentados nesta oportunidade destacam a importância da arte popular como elemento cultural do país, assim como também mostram as diversas facetas do artesanato, tanto da gente do interior do país como da gente das cidades.
A Argentina, para Portugal e para muitos países do mundo, está muito longe. Por esta razão é que a Argentina aceitou ser parte desta Feira com a intenção de mostrar que as distâncias geográficas já não são uma barreira entre as culturas dos povos. São, ao contrário, um desafio que permite pôr em evidência o desejo de nos aproximarmos, a vocação de estarmos muito próximos dos outros países e de seus povos.
Felicito o Município de Vila do Conde e a Associação para Defesa do Artesanato e Património desta cidade pela brilhante iniciativa de realizar esta Feira, que nos permite mostrar que as relações entre a Argentina e Portugal na área cultural estão vivas. É com grande honra que a Argentina participa na 36ª Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde, pela primeira vez, como país convidado.
 

 ANIMAÇÃO
  
DIAHor.

NOME DO GRUPO / RANCHO

Sáb2716h30

Teatro Fantoches LFA "Mamulengo CAPIROTO" - VILA DO CONDE

21h30Portotango Ensemble - Argentina
Dom2816h30Teatro Fantoches LFA "Mamulengo CAPIROTO" - VILA DO CONDE
18h00Portotango Ensemble - Argentina
21h30

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Calendário - V. N. FAMALICÃO

Seg2921h30

Rancho Folclórico de S. Tiago de Silvalde - ESPINHO

Ter 3021h30

Grupo de Concertinas "Os Magnificos" - MONÇÃO

Qua3121h30

Associação Cultural e Recreativa do Rancho do Monte - VILA DO CONDE

Qui121h30

Grupo Folclórico Poveiro - PÓVOA DE VARZIM

Sex

2

21h30

Rancho Folclórico do Divino Espírito Santo - TROFA

Sáb

3

16h30

Teatro Fantoches LFA "Mamulengo CAPIROTO" - VILA DO CONDE

21h30Rancho Folclórico Cultural da Associação Relvense - CASTRO DAIRE
Dom4
16h30Teatro Fantoches LFA "Mamulengo CAPIROTO" - VILA DO CONDE
21h30

Grupo MORABEZA - CABO VERDE

Seg

5

21h30

Grupo Etnográfico do Orfeão de MATOSINHOS

Ter

6

21h30

Rancho Folclórico de Santo Estevão de Regadas - FAFE

Qua

7

21h30

Rancho da Praça - Rendilheiras de VILA DO CONDE

Qui

8

21h30

Rancho Folclórico de S. Cosme - GONDOMAR

Sex

9

21h30

Cosa Nostra - AROUCA

Sáb

10

16h30

Teatro Fantoches LFA "Mamulengo CAPIROTO" - VILA DO CONDE

21h30Rancho Caxineiro - VILA DO CONDE

Dom

11

16h30

Teatro Fantoches LFA "Mamulengo CAPIROTO" - VILA DO CONDE

21h30Grupo Colibry - OLIVEIRA DO BAIRRO
 

 

JORNADAS GASTRONÓMICAS 

  
ARGENTINA

27.Jul

28.Jul

Sábado

e

Domingo

Empada de carne
Torta Primavera
Matambre c/ salada de batata
Tomates nortenhos recheados
Torta de acelga e queijo
Filetes de pescada no forno com queijo azul
Truta patagónica
Churrasco argentino
Bife da vazia c/ batata-doce frita e salada de quinoa
Gelado Bariloche
Panquecas de doce de leite
Mazamorra
Alfajor rogel
TRÁS OS MONTES E ALTO DOURO

29.Jul

30.Jul

Segunda

e

Terça

Tutanos de polvo frito
Caldo de papas de Armamar
Sopa de alface de S. João da Pesqueira
Arroz de bacalhau no forno à moda de Vila Real
Alheiras com batatas e grelos
Mão de vitela com grão
Posta de Sendim
Chila dourada
Doce de farinha de pau
RIBATEJO / ESTREMADURA

31.Jul

1.Ago

Quarta

e

Quinta

Choco frito c/ pimenta
Sopa de grão das Antureiras
Caldo verde de coentros
Carapaus à moda do Cartaxo
Enguias fritas
Bifes com coentros
Batatas fofas recheadas, acompanhadas com couve-flor
Bolo acaramelado
Açorda de ovos de Sesimbra
CABO VERDE

2.Ago

3.Ago

4.Ago

Sexta

Sábado

Domingo

Canja de galinha à moda de Cabo Verde
Búzios
Pastéis de Cabo Verde
Caldo de peixe
Cachupa de peixe
Atum estufado com pirão
Cachupa
Cachupa guisada
Modjo Manuel Antone
Pudim de Cabo Verde
Doce de Papaia com queijo e bolacha
Truta típica
ALENTEJO / ALGARVE

5.Ago

6.Ago

Segunda

e

Terça

Canja de peixe
Afogado de Nisa
Linguiça frita
Atum estufado
Caldeirada à Pires (Aldeia do Bispo)
Carne do alguidar
Cozido com grão à moda de Elvas
Cataplana de amêijoas de Alvor
Doces alentejanos

BEIRAS

7.Ago

8.Ago

Quarta

e

Quinta

Ovos com espinafres
Morcelas com ervilhas de cavaca
Sopa à pescador
Aferventado com carapaus fritos
Bacalhau de Tiborna
Sopa seca de Mundão
Doce de toucinho de Leiria
PROJETO E-ARTE (Adriminho e Adrimag)

9.Ago

10.Ago

11.Ago

Sexta

Sábado

Domingo

Caldo Verde de Valença
Torta de camarão à moda de Vila Paria d’Âncora
Caldeirada à Tio Feito (Caminha)
Cabrito do Monte de Melgaço
Vitela arouquesa assada à regional
Barriga de freira de Monção
Variedade de doces de Arouca
 DADOS GERAIS
 

· 11.000 m2 de área total ocupada;

· 1 módulos;

· 2 expositores;

· 1 concelhos presentes, para além das Regiões Autónomas dos Açores e Madeira;

. Presença do Reino da Tailândia com o seu artesanato, gastronomia e folclore;

· 4 presenças oficiais,

· 77 artesãos a trabalhar ao vivo;

· 124 horas aberta ao público;

· Grupos de música, danças e cantares portugueses;

· Concurso Fotográfico – 260 trabalhos fotográficos a concurso (184 na categoria cor e 76 na categoria de preto e branco). Atribuídos 3 Prémios e 3 Menções Honrosas na modalidade cor e 3 Prémios e 4 Menções Honrosas na categoria preto e branco;

· Serviços de apoio:
Secretariado
2 Restaurantes
2 Bares
Acessibilidade total e WC para deficientes
Telefones Públicos
Multibanco

 
  
 JORNAL OFICIAL DA 36ª FNA
link externo

 

201235ª edição - 21 de julho a 5 de agosto
 PRÉMIO FNA
 

As Rendas de Bilros como fonte de inspiração é o mote do concurso promovido pela Organização